domingo, 10 de fevereiro de 2013

Genizah e o Caio Fábio a favor do Gayzismo?



Já tem um tempo que tenho olhado para o blog do Genizah com muita preocupação devido aos exageros e ao seu ódio por algumas pessoas do meio evangélico.
Ainda me lembro quando o Danilo dono do blog Genizah veio aqui nesse humilde blog cheio de formalidade e elogios, pedindo que eu fosse um dos seguidores do blog recém criado.
Na época ele já era polêmico em suas postagens, mas, contudo ele era moderado em seus artigos. Com o passar do tempo, o reconhecimento (ganhado nas costas do Silas e do Diante do Trono) subiu a cabeça desse camarada, se tornando um zombador desrespeitoso de pessoas.
Vale ainda dizer que ao meu ver o Danilo fica falando muito do Silas por duas razões:
1° Porque ele odeia o Silas, e isso é por causa dele ser um dos discípulos do Caio, que trava uma guerra histórica contra o Silas.
2° Bem, o segundo já foi dito mas acima. O Danilo é um marqueteiro e isso foi ele mesmo quem disse, sendo assim, ele usou o nome e a imagem do Malafaia (de maneira pejorativa) para ganhar adeptos e visualizadores do seu blog.
Com isso me pergunto: O Genizah está mesmo preocupado em fazer apologética, ou está interessado em outras coi$a$?
A mais nova agora é que no calor de querer denegrir mais a imagem do Silas, ele chegar a ser suspeita (pelo menos) de ser defensor do gayzismo no Brasil, pois como nós vemos ele é omisso a esse assunto. Será por quê?
Veja o que o Julio Severo disse sobre o Danilo e o Genizah Vejam aqui
Pois é, você leu? É assustador não!

E para não ficar para traz, o Caio, outro que tenta se levantar para ser reconhecido nas costas do Silas faz essa declaração. Vejam aqui
Gente, na boa. Mas esses caras no mínimo são dignos de suspeitas, pois se for verdade mesmo, estamos dando créditos a dois camarada que são a favor do gayzismo e contra as verdades bíblicas, que condenam tais praticas veementemente.
Acredito que mais cedo ou mais tarde a mascara do Danilo (a do Caio não, pois esse não tem mais mascaras de tanto que já usou) irá cair.

Jean Patrik

 Ops! Fiz esse post pra ver se consigo uma rapa dos leitores do Genizah, quem sabe o meu blog não fica famoso criticando e metendo o pau nele.

Reações:

3 comentários:

  1. Boa noite.

    Confesso com a mão no coração que, em algumas coisas, não concordo com você, mas, por favor, reflitamos juntos. Atenção: Em relação ao Caio Fábio, eu vi muitos vídeos no seu site e li alguns artigos que ele escreveu, não concordo com algumas coisas sobre o que ele pensa sobre os gays, mas sei que ele não mente e nem se mascara.

    Primeiramente, ele faz uma distinção entre os radicalismos do movimento gay e bate no movimento evangélico que adota teologia da prosperidade, coloca ambos como nocivos à alma humana, mas coloca a religião e os seus radicalismos, principalmente os evangélicos, como sendo pior. Isso eu considero algo bom, pois o ativismo gay condiciona, junto com mídia corporativista, a não olharmos os abusos do movimento gay. Quanto ao Caio Fábio, me abstenho de julgá-lo e não coloco em questão sua visão sobre o cristianismo, religião e seus dissabores com Silas Malafaia, pois vim aqui questionar sobre sexualidade, gostaria de deixar isso claro.

    Minha experiência já me comprovou que pode haver condicionamento sobre muitíssimas coisas, mas a experiência histórica social comprova que, infelizmente, há condicionamento também em relação à sexualidade. Esse condicionamento pode ser físico, através de estupros (principalmente os casos de pedofilia) que fazem o sujeito ser "traumagaytizado", ou seja, quando o estuprado é mulher, tende-se a criar uma repulsa pelo sexo masculino e se aderir mais a sexo feminino. Quando é do sexo masculino, acaba desenvolvendo demais a área erógena anal e se identifica com o sexo anal. Por isso o ativismo gay tem uma estranha ligação com a defesa da pedofilia e é defensor da libertinagem sexual quando advoga que "o indivíduo tem que ter total liberdade de começar sua sexualidade, independente da idade", isso é pura e simplesmente apologia a pedofilia. Sou totalmente a favor a vocês quando criticam esses gayzistas pedófilos que, se pessoalmente não a praticam, são pedófilos por defenderem ideologicamente.

    ResponderExcluir
  2. A pior ação do ativismo gay, por incrível que pareça, não é nem a prática do ato homossexual e nem o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o pior é a identificação de homossexualidade através de comportamentos extravagantes, com destaque para os afeminados e transgêneros. Mas quando digo isso, você pode pensar: como pode ser isso? O indivíduo que se comporta como afeminado é pior do que aquele que sai de mãos dadas com o mesmo sexo, que se casa com o mesmo sexo, que transa com o mesmo sexo?

    Se o seu comportamento fosse puramente para identificar sua personalidade, não haveria problema algum... Mas o problema é que tal comportamento serve para ser a identificação da sua sexualidade, ou mais especificamente, da sua homossexualidade.

    Temos uma rígida divisão de gênero na sociedade globalizada. O homem heterossexual deve ter comportamento moderadamente masculino e fazer seus papéis sexuais definido culturalmente para o sexo masculino. A mulher heterossexual deve ter comportamento moderadamente feminino e fazer seus papéis sexuais definido culturalmente para o sexo feminino. Os gays podem ter o comportamento de gênero que quiserem, mas os transgêneros (travestis, drag queens, gay afeminado) normalmente misturaram os comportamentos masculino e feminino (perfil de um travesti) ou vivem uma polaridade comportamental extravagante do outro sexo, ou seja, usa esse comportamento como identificação para ser psicologicamente do outro sexo. Mas a sua extravagância comportamental é tão exagerada que, por exemplo, nem a maioria das mulheres “é tão exageradamente feminina” em comportamento feminino quanto um gay afeminado.

    ResponderExcluir
  3. Isso traz algumas consequências sócio-culturais:

    - Há maior liberdade comportamental para o LGBT e como ele se identifica através do seu próprio comportamento, a visão de como ser homossexual fica estereotipada no comportamento, ou seja, reconhece-se um homossexual pelo comportamento e não pelo seu ato homossexual. Tal liberdade comportamental influência sim muitas pessoas a experimentarem prática homossexual, se assumirem ou até mesmo aderirem ao estereotipo comportamental gay.

    - A mídia corporativa, motivada pelo determinismo biológico, usa o estereotipo gay fazendo a sociedade acreditar que homossexualidade deixa seqüelas comportamentais em algum grau. Nesse ponto, para defender o estereotipo, a mídia corporativista simplesmente mostra demasiadamente os gays em suas performances afeminadas, destacando quase sempre o homossexual masculino.

    - Uma pessoa que nasce heterossexual realmente não vira homossexual e nem vice versa, mas de tanto a homossexualidade estar em evidência e ao fato alguns não suportarem a gaiola comportamental que um heterossexual vive na nossa sociedade, muitos se sente “curiosos” a viverem o outro lado. Nessa experimentação, muitos aderem totalmente a uma “vida gay”. Muitas vezes o proibido e que é tido moralmente como repulsivo, atrai a muitos. Isso explica muitos deixarem sua vida heterossexual e se tornarem gay da noite para o dia e vice versa, muitas vezes tal pessoa nem conheça realmente qual sua natureza sexual, pois ela foi condicionada por fatores externos.

    - É defendido cientificamente que homossexualidade é algo irreversível, sem qualquer contestação, mesmo não havendo pesquisas científicas sérias que promovam a mudança biológica da homossexualidade. Falo de tratamentos cientificamente eficazes, não os tradicionais que tentam mudança psicológica ou a base da fé religiosa. Tais mudanças não são nem objetivos da pesquisa científica séria, pois OMC já os considera homofóbicas, abomináveis, preconceituosas, inapropriadas e passíveis de processos jurídicos quaisquer tentativas científicas nessa linha.

    Nossa sociedade está sendo induzida a aceitar a homossexualidade e a corrente gayzista junto, através da mídia corporativa que mostra o gay em toda sua programação televisiva, na mídia escrita, nos sites, blogs, redes sociais mundo afora. O problema é que querem destruir as religiões, não as exterminando, mas fazendo ecumenismo para formar uma única religião e, para isso, o cristianismo será enfraquecido. O tal embate que os evangélicos fazem com os gayzistas, sendo os últimos apoiados maciçamente pela mídia e os grandes poderes mundiais, só enfraquece a religião cristã e a crença em Jesus Cristo para as gerações futuras.

    O apoio a todas as práticas sexuais, com destaque a homossexualidade, é relacionada também a redução populacional e na criação de gerações mais controláveis, mas não entrarei nesse assunto se não me estenderei demais. Peço que analise o que disse e faça criticas construtivas. Meu muito obrigado e aguardo respostas.

    ResponderExcluir

Esse Blog apóia Samuel Câmara

Esse Blog apóia Samuel Câmara
CGADB PARA TODOS