quinta-feira, 15 de março de 2012

Sobre o pecado

O salário do pecado é a morte... (Rm.6.23)
Como estamos precisando de mensagens que fale sobre o pecado, mas pregar sobre o pecado não é apenas falar rapidamente e sem exposição bíblica sobre o assunto. Pregar sobre o pecado é falar com profundidade e com muita reflexão vinda dos textos sagrados como fez os grandes avivalistas.
Para mim é impossível falar de pecado e não se lembrar de uma canção do pastor Vitorino Silva, irei citar apenas um trecho desse maravilhoso louvor.
“Parece que o pecar não é pecado mais
Parece que o errar não é errado mais
Parece tão comum pedir mais um perdão
Parece que o temor não há nos corações
Um abismo chama o outro e assim o crente vai
Seguindo sem seguir correndo para traz
São muitos mais um dia Deus vai revelar
O espírito de Deus entristecido está.”


Confesso que às vezes choro ao ouvir essa canção. Por que? Porque ela me faz enxergar os meus erros e pecados que eu não quero enxergar, e me motiva a não mais pratica-los. Mas a frente colocarei o vídeo com esse louvor, agora iremos ficar na parte escrita.

O pastor Jonathan Edward em seu famoso sermão ‘Pecadores nas mãos de um Deus irado’ trouxe essa convicção aos seus ouvintes ao pregar de uma forma extraordinária. Segundo os relatos, dizem que enquanto ele pregava os ouvintes viam o chão sumindo e inferno aparecendo diante dos olhos deles a ponto deles se agarrarem nas pilastras e bancos gritando que não queriam cair.

Veja um trecho do sermão que resultou nessa reação dos ouvintes: "Aí está o
Inferno com a boca aberta. Não existe coisa alguma sobre a qual vós vos
possais firmar e segurar. Entre vós e o Inferno existe apenas a atmosfera...
há, atualmente, nuvens negras da ira de Deus pairando sobre vossas
cabeças, predizendo tempestades espantosas, com grandes trovões. Se não
existisse a vontade soberana de Deus, que é a única coisa para evitar o
ímpeto do vento até agora, serieis destruídos e vos tornaríeis como a palha
da eira... O Deus que vos segura na mão, sobre o abismo do Inferno, mais
ou menos como o homem segura uma aranha ou outro inseto nojento
sobre o fogo, durante um momento, para deixá-lo cair depois, está sendo
provocado em extremo... Não há que admirar, se alguns de vós com saúde
e calmamente sentados aí nos bancos, passarem para lá antes de amanhã..."


Acredito que tais palavras sejam antiquadas ao nosso tempo, isso é devido a nossa flexibilidade em querer que o evangelho pareça em todos os aspectos amistoso. Entretanto sabemos que não é assim.

Aprofundando no assunto

O pecado teve a origem nos céus (Is.14:12-14), com satanás, que era um querubim ungido (Ez.28:14), esse querubim foi lançado do céu depois de ter se ensoberbecido a ponto de querer ter um trono como o de Deus.(Ez.28:16; Lc.10:18).

Depois de um tempo imensurável Deus criou o homem (Adão) e deu liberdade ao homem, mas ele sendo seduzido pela serpente (satanás) deixou se ensoberbecer pelas palavras da serpente de que seriam como Deus, e assim ele pecou, atingindo toda raça a partir de Adão e Eva (Gn 3; Rm 5.12), a consequência desse pecado foi a morte a todos seres humanos (Rm.6.23; 5.12). O homem agora nascido com esse pecado (Sl.51.5) estava condenado a morrer fisicamente. Mas não só isso, o homem agora estava morto em seus delitos (morto espiritualmente) e uma vez morto espiritualmente ele agora se inclinaria para a sua natureza contaminada (a carne) (Ef.2.1-3), não sendo capaz de fazer bem algum, todos agora estavam extraviados e destituídos glória de Deus (Rm.3.11-12), e por causa desses pecados éramos por natureza filhos da ira (Ef.2.3) e escravos do pecado (Rm.6.20). E por mais que nos esforçássemos para nos justificarmos nenhum dos nossos esforços seria o suficiente para aplacar a ira que os nossos pecados causou em Deus, pois para Deus a nossa justiça é como trapos de imundícia e nós imundos (Is.64.6).

Vocês conseguem visualizar um avivamento com palavras como essas dentro das nossas igrejas?
Deus tenha misericórdia!

Entretanto foram com tipo de pregações assim que Jonathan Edward cheio do Espírito Santo mostrou a condição daquele povo, onde houve um grande despertamento espiritual.
Fico pensado, quem é que quer falar do homem assim, como ele é. Infelizmente a igreja está com resíduos do humanismo moderno onde as canções e as pregações dizem desse homem ser a obra prima de Deus, mas se esquecem que essa obra prima foi borrada pelo pecado ao ponto de se torna irreconhecível.

Precisamos volta a falar sobre o pecado em nossas igrejas, não como uma obrigação vazia e descompromissada com as Escrituras. Não! Deus quer ver-nos falando com ousadia ao povo, ele quer que seu povo reconheça aquilo que vem tentando esconder dEle, Ele quer que nos compungimos (arrepender) ao falar sobre isso, não podemos mais perder tempo com esse evangelho que não traz santificação, arrependimento, humilhação, temor, tremor, quebrantamento, pureza e fortes dores em nossa carne, isso mesmo! Fortes dores em nossa carne. Precisamos de um evangelho que faça a nossa carne chorar de dor por não querer fazer mais a sua vontade.

Oh Deus! Não desista de nós, ainda existem sete mil que não se dobraram diante desse evangelho corrompido e espúrio. Nós ainda estamos aqui, não nos deixe, capacita-nos para fazer o que deseja.

Aleluia!

No próximo post falaremos de como esse homem que merece a ira e a destruição de Deus, recebeu e recebe a misericórdia da parte dEle.





Agora chore comigo com essa maravilhosa cansão!




Jean Patrik


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Esse Blog apóia Samuel Câmara

Esse Blog apóia Samuel Câmara
CGADB PARA TODOS